Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Portugal.

Take a Virtual Tour of Timpanas

Explore em 360º

(Pt) Corria o ano de 1961 quando, subitamente, vagou o n.º 22-24 da Rua Gilberto Rola, onde funcionava uma oficina de marcenaria.

Essa circunstância, juntamente com a vontade da Família Forjaz, fundadora, querer festejar o aniversário de Mercês da Cunha Rego, fadista que alcançou êxito com um dos temas clássicos mais apreciados à época, “Cavalo Russo”, de Paulo Vilar e Frederico Valério, determinou a abertura desta nova casa de fados em Lisboa.

Por alusão à actividade que previamente ali existia chamaram-lhe “Colher de Pau”, mas logo alguém lançou a feliz sugestão de o mudar para Timpanas.

O nome teve inspiração directa no fonofilme de Leitão de Barros, no qual o actor Silvestre Alegrim interpreta um boleeiro, “Rei das Traquitanas”, que, assobiante, de chapéu revolucionário à patuleia e pilecas atreladas à tipoia percorre as capelinhas dos bairros transportando boémios.